Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


29
Abr15

A toda a hora...

por chapeusechapeladas

A toda a hora

sinto que te fazer minha é uma ilusão

um tema que se vai estender vida fora

a letra de uma canção

faço rimas

para com amor massagear o teu ego

choro pelas esquinas

enquanto espero

pelas tuas promessas

com as fotografias tuas gravadas no pensamento

as saudades são cada vez mais escassas

porque tu estás em mim como um vento

que vai e vem

só para me fazer sentir o seu brisa

fazendo o que lhe convém

a toda a hora

carrego as minhas memorias com imagens tuas

gostaria que estivesses aqui e agora

para te libertar do teu bikini

mergulhar nos teus seios fartos

mostrar o quanto gosto de ti

por entre beijos e abraços

dizendo poesia na tua carne exposta

fazendo musica na tua vagina pintada

com cores que mais ninguém me mostra

com o amor que ela é regada

a toda a hora

creio que me vais recompensar

com promessas que ficam no ar

 

e esta demora em chegar

até onde tu queres estar

mas onde receias ficar

faz com que a minha vontade possa passar

e eu não gostaria de ver este remorso a instalar-se

onde tu deverias estar instalada

abraçados a toda a hora

o resto não conta para nada

se tu quiseres aqui e agora

teremos toda uma história para contar

um momento para ficarmos juntos

esquecendo todos os outros assuntos

porque o futuro

chama-se presente!!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

13
Abr15

Sexo crú, nú, ardente

por chapeusechapeladas
 
Sem qualquer ritual
hora marcada
é sempre especial
esta tara
gostar de sexo
descobrir os infimos recantos do prazer
desde a língua levemente na nuca
nas orelhas
a viagem ainda vai curta
e já quero mordiscar esses lábios
escarapachados
abertos convidativos
sentindo os beijos no pescoço escorregadio
tremores aos salpicos
sem ficar qualquer espaço vazio
finalmente....
Os lábios onde a minha língua explora
docemente
pois doce é o sabor que se adora
e mais doce fica

quando os seios se libertam das minhas mãos
para serem gulosamente engolidos
a minha boca abocanha-os
lambe, mordisca
chega e conquista
os mamilos parecem pontas de flechas
duros
pela eternidade que é aquele momento de prazer
e só agora começou
mas ela já está toda molhada
o meu dedo não parou
enquanto ela não se realizou
sem saber que ainda estava no ínicio
seria um tortura
um suplício
quando a minha boca vinda dos seus seios
lambendo tudo até a sua passagem
chega ao seu ventre
ela estremece de contente
quando lhe abro bem aquelas pernas bem feitas

e com pequenas chupadelas
lhe coloco o clitóris em festa
ela contorce-se
eu chupo, lambo, esfrego a minha língua
na sua vagina
aberta
totalmente esposta
aos ataque nucleares da minha boca
dos meus dedos
ela parece louca
desvenda todos os seus segredos
quer ser ela a comandar
fazendo-me o que eu lhe fiz
deixo-a beijar
sabendo que ela será uma boa aprendiz
deixo-a chupar
tenho o pénis sequioso da sua boca
não tenho tempo para poemas
quero mesmo fude-la
quero meter-lhe o pau na boca

entre as mamas
na sua rata encharcada
quero estocar-lhe a imaginação
comer-lhe o cu
para ela urrar de tesão
quero que ela se venha mil e uma vezes
para quando eu me vier
na sua boca
nas suas mamas
no seu cu
na sua vagina
seja onde for
seja o reflexo
do momento ardente
de um grande sexo
sempre presente
crú e nú
como deve ser
em nome do prazer!





























 

Autoria e outros dados (tags, etc)

13
Abr15

Falando de sexo

por chapeusechapeladas
 
 

Os mais variados temas então em aberto para se manter uma conversa agradável, o tema mais comum é falar sobre a crise, segue-se os problemas adjacentes dessa mesma crise, depois pode-se variar de tema e falar sobre saúde que é muito importante, segue-se o futebol e desporto em geral.
Na continuação podemos conversar sobre o mundo, e sobre religião o que se torna um tema mais chato, mas pode-se conversar e esgrimir pontos de vista conforme as crenças e posições de cada pessoa.
Na generalidade pode-se falar de tudo seja um tema mais corriqueiro em que a vizinha perdeu um sapato, em que roubaram um vaso na casa do lado, pode-se falar do atropelamento que teve na rua de frente, e ainda podemos falar que fulana estava a falar da vida de sicrana com a beltrana  todas instaladas na mesa de um café.
Os temas podem ser os mais variados dependendo dos gostos, das pessoas e acima de tudo da capacidade de cada um para ter uma bela e excelente conversa.
Deixei de propósito um outro tema que pode ser algo com que duas ou mais pessoas se entretenham a ter uma excelente conversa, obviamente falo de sexo que é um tema muito vasto e sobre o qual já falei tudo o que tinha para falar.
 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

13
Abr15

Degraus Frios

por chapeusechapeladas

Sento-me nos degraus frios
não á lugar para mim
junto á lareira
vivo num orfanato
onde sou orfão de mim mesmo
tudo parece bem
quando olho de fora
ninguem faz ideia do que é estar
dentro de mim
fora de mim
os ventos fracos são tempestades
a água que cai gota a gota
traz uma inundação em grande escala
é como tentar atravessar uma ponte
que só tem um lado


com começo
mas sem fim
não sei o caminho
para levantar destes degraus frios
não me lembro de nada de bom para falar
nem coisas boas para recordar
sinto um espartilho na minha cabeça
sei onde quero ir
mas não sei como lá chegar
fiquei sentado no 5º degrau
sem coragem para escalar os restantes
porque tenho medo
que lá no alto descobra
que os degraus ainda são mais frios.

Autoria e outros dados (tags, etc)

13
Abr15

Dias de soluços!

por chapeusechapeladas













Soluços

desmaios sem nexo

os dias não dizem:

bom dia

nem as noites :

boa noite

revejo a minha infancia

quando éra apenas uma criança

na construçao dificil

do ser eu

o adeus sempre presente

como um prazo de validade

á muito esgotado

muitas linhas foram escritas




o tempo foi-se perdendo

na pressa com que a vida foi acontecendo

esgotaram-se as possibilidades

de contrariar aquilo para que nasci

como sempre pressenti

começou na solidão de um berço

arrastou-se por uma infancia

elevou a adolescencia perdida

á idade adulta

e neste sentido de ser adulto

tudo se esgotou

tudo se perdeu

no mar de responsabilidades




tudo tremeu

tudo se perdeu

os soluçoes

não são mais que aquilo que dei

á vida que me criou

e que sem me ter levado

me esgotou

sem tempo

sem qualquer sentimento

que não fosse o sentir

algo podia ser feito

para ter melhorado

este instante

chamado vida.




 

 









 

Autoria e outros dados (tags, etc)

13
Abr15

Idiotice na TV

por chapeusechapeladas

Gosto de programas específicos na televisão e como tal procuro sempre canais que satisfazem o que eu gosto de ver, por isso é normal eu andar pelos canais de História, Odisseia, A&E, Bio, Discovery, Travel, National Geographic, são estes os canais que eu mais procuro para fugir um pouco aos Big Brothers idiotas que ocupam as televisões.


Qual o meu espanto ao descobrir um programa tão idiota, mas tão idiota que até dói de ver, chama-se os REIS DAS TROCAS, onde dois gajos trocam coisas, até nada de anormal, o que me chamou a atenção é que eles trocam as suas coisas por coisas que valem sempre mais, algumas até valem mais de o dobro das que eles tem para trocar, algumas até mais e eu pergunto:
Será que este programa foi produzido para anormais? Para pessoas que não sabem o valor das suas coisas?


Ou será que tem muitos burros na vida e foram todos parar neste programa onde dois saem sempre a ganhar e todos os outros levam no cu por serem tão burros?
É que eu nunca vi ninguém a fazer trocas para perder e isso é natural, agora ver pessoa após pessoa a trocar coisas de valor inferior pelas suas e ficar contente não lembra ao diabo, mas lembrou a alguém que até fez um programa de televisão com isso!

Autoria e outros dados (tags, etc)

13
Abr15

Aventura épica!!!

por chapeusechapeladas











Uma aventura épica

dinossauros fugindo se um cometa

vida se criando do nada

tempos em que ninguém falava

sons do silencio

tempos negros

dos quais não existem registos

a transformação da evolução

saída da destruição

deuses que se ergueram

para explicar o que não tem explicação

as únicas testemunhas que viveram esta aventura

pareceram

tragadas pelo tempo

não deixaram a sua versão da historia

mas deve ter sido cá uma aventura dos diabos






viver o fim de um mundo

e o principio de outro

se bem que o mundo em que vivemos

não seria bem aquele que todos desejavam

a verdade é que agora a aventura não é viver

mas sim morrer

para sair deste escombro de cimento

com toxinas no vento

em que este mundo se transformou

é o preço que se paga

num mundo em que cada vez mais é o dinheiro

que determina aquilo que somos

mas lá naquele passado

ninguém tinha dinheiro para comprar

ou ser comprado

podia até ser comido




mas não tinha carro para pagar

luz para iluminar

Tv. para deseducar

casa para nos abrigar sabe-se lá de quê

não havia falta de emprego

porque não havia patrão ou empregado

quem nos dera termos cultivado esse legado

e hoje podia o mundo não ser melhor

mas concerteza não havia tanto stress

nem tanta gente sem saber para onde vai

de onde veio

o que faz neste mundo de formiguinhas

que passam uma vida correndo para morrer

sem aventura

mas com muita amargura

quem te mandou mudar mundo insensato




cometa louco

que estragastes o paraíso

para fazer dele um manicómio

onde todos fazem um sorriso

para não terem de levar choques eléctricos

que bela aventura deve ter sido viver

naquele mundo não poluído

pelas religiões

politicas

e nações

onde as fronteiras eram aquelas

que demoram alguém a ser uma refeição

mas até nisto a aventura era permanente

porque agora somos comidos pouco a pouco

sem marcas

mas com muitas dores.






 

 

 









 

Autoria e outros dados (tags, etc)

13
Abr15

Apaixonado

por chapeusechapeladas











Quero ser o sol que não escurece

a manhã que nunca acontece

a bolinha de sabão no teu banho demorado

para deslizar no teu corpo

apaixonado

gostaria de ser a lua que te cobre

o lençol que não te descobre

o caminho que te guia

em ondas de alegria

apaixonado

não quero ser o leite derramado

a châvena partida




o carro parado

depois da partida

apaixonado

não desejo ser a lagrima contida

a mão que acena uma despedida

um carteiro que não entréga cartas

um flor perdida nas matas

apaixonado

nas labaredas desta paixão

quero que meu corpo se evapore

sentindo o teu corpo

que me engole

apaixonado.




 

 

 

 









 

Autoria e outros dados (tags, etc)

13
Abr15

Tectos Caídos

por chapeusechapeladas











Saltam as bolas nos cubículos

os tetos das igrejas caiem em cima dos fieis

nem tudo são milagres

nos olhos carregados de bondades

tudo acontece por uma razão

fazem-se fugazes amizades

que levam o tempo de dizer ai

crescem flores nas arvores

uma criança caminha sem pai

todos querem o mesmo da vida

mas nem todos alcançam

uns traçam a despedida

outros batem palmas e dançam






no palco do nosso contentamento

uns nem se preocupam

apenas vivem o seu momento

que pode até ser passageiro

mas este ninguém o tira

as bolas continuam a cair

os milagres não tem mãos a medir

simplesmente não acontecem

por isso as coisas acontecem

os tetos das igrejas vão acabar por ruir

e tudo o que se rezou

não tem razão para existir

a fé é aquela que nos próprios criamos

pode haver uma força maior




mas somos nós que nós guiamos

por trilhos de arame farpado

ou por trilhos de amor

temos sempre dois caminhos

aquele que escolhemos

e o que ficou de lado

nem todos reluzimos

nem todos somos amados

mas quem se refugia numa igreja

para rezar a um anjo protector

pode encontrar toda a paz que precisa

mas não espere encontra milagres

seja onde for.




 

 










 

Autoria e outros dados (tags, etc)

13
Abr15

Casa de tijolo!

por chapeusechapeladas











O tempo de arrependimento já lá vai

faz muito tempo que a chuva não cai

o sol agora reina os dias

sem marcas

nem saídas

é tempo de olhar em frente

crescer

e ser gente

assentar tijolo por tijolo

deixar os castelos de areia

e construir uma casa mais modesta

sem grandes luxos

mas sempre com festa

numa terra mais real

do que aquela em que os castelos são construídos

sem sonhos proibidos

nesta casa assentada em tijolo




o arrependimento é um simples tolo

que se arrepende

por dizer te amo

timidamente

não tem nada proibido

a vida apenas é mais simples

não preciso me proteger com muralhas

nem ficar com medo de cair

nas minhas batalhas

sei que aqui não serei ferido

nesta casa tenho um abrigo

que me permite ser sereno

e ter um ombro ameno

uns lábios suaves

uma ouvinte atenta

um corpo belo e sinuoso




com o sabor e cheiro a menta

não olho mais para trás

o arrependimento já lá vai

agora quero a paz

nesta casa de tijolo

onde antes este tolo

não queria entrar

agarrado ao seu castelo

com ventos para o sustentar

agora tudo é diferente

o tolo cresceu

agora é gente

vive feliz na modéstia

não se arrepende de nada

tudo é feito com prazer

quem ama

tem tudo que é para ter.






 

 

 









 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D