Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


17
Jun13

Tempero do corpo de delito‏

por chapeusechapeladas

Corpo de delito

sentido aflito

vejo amor 

mas não vejo paixão

vejo perigo 

onde existe a obsessão.

Jogos identificados

corpos suados

motivos justificados

por ventos anunciados

no meio das solidões

por muitos e bons Verões

candidatos a Oscares

primogénitos varões

primogénitas baronesas

sacrificando encontros

em nomes das incertezas

instaladas nas beiradas

do sentimento da rainha de copas

e no arrependimento do ás de espadas!!


O poema acabou-se 

na amargura que passou

o fogo extinguiu-se 

no mar que o afogou

as velas que nunca navegaram

segredos que o horizonte guardou

mas que o beijo desvendou

onde o céu nasce

as estrelas fazem um ninho

uma imensidão de espaço

que fazem de qualquer um pequenino

até a escrever

até a sentir

onde o chão esteja seco depois de chover

onde o chão esteja molhado depois do sol sorrir

corpo de delito

estou totalmente aflito

mas ainda acredito

que um poema pode ser o sal

para temperar o amor desdito!!

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D