Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


20
Mai14

Juros de uma vida!!‏

por chapeusechapeladas

 

Os juros estão pela hora da morte

até já há quem morra para jurar
até já há quem jure para não morrer
acho que é assim que tem que ser....
Este banco não trem horas de funcionamento
tanto está encerrado
como aberto com mau tempo
é um banco de um só balcão
atendimento personalizado
sempre combinado
com essa inestimável razão
de quem quer servir
para ser servido
de quem quer existir
para ser ouvido
correndo epicamente
para comemorar uma descida de juros
altos como sempre
mas livres de muros
arbitrariamente destruídos
para os mais convencidos
tornarem a acreditar na emoção fundamental
personalização do bem contra o mal
crescido entre ervas daninhas
sob inveja de vizinhas
sem o cabelo que cobre as carequinhas
eis o amor
sempre a valorizar
depositado numa caixão sem papel
sem a coleira que diz fiel
com juros altissimos
na conta conjunta 
não param de render
de valorizar
sem nada a esconder
conta transparente
numa situação emergente
só rende juros tudo o que é plantado
o resto está morto
ou passa um mau bocado
tal e qual os bancos sem fundos
que prometem infinitos e mundos
com juros mais altos que os demais
não são assim tão especiais
porque as promessas esfumam-se
os juros evaporam-se
fecham balcões
destroem corações
mais vale ter só um banco
e ele estar sempre presente
nunca se fazendo ausente
no peito inchado
de juro acumulado
um amor fechado
destino aberto
o resto são conclusões
as mães de todas as ilusões
que não rendem o desejado
tal e qual um amor esperado
no peito amamentado
numa redoma tratado
com juros sempre em crescendo
só vendo
só sentindo
bem-vindo
juro proporcional
és especial
constantemente valorizado
és o melhor tesouro
que bem guardado
vale ouro
e mais que esse imenso valor
é modesto o amor
só tem um balcão
atende toda a gente 
mas nunca perde a razão
de estar contente
por saber que é fiável
maneável
nunca permeável
sempre a render
na capacidade de vencer
apenas com um balcão
está ali sempre a mão
é amor
é prazer
é ardor
é querer
são os juros de algo que não tem valor atribuído
um  produto engrandecido
pelos juros constantemente acumulados
para sempre guardados
no banco que viabiliza esperança
e a quem todos reconhecem competências
para aumentar os juros 
sem deixar nenhuma dívida!!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D